Análise descritiva e exploratória

Antes da divulgação dos gráficos ao grande público e pode recorrer-se a outras formas gráficas mais complexas para explorar e analisar os dados. Os métodos gráficos aplicados na análise exploratória de dados são variados e é sobre eles que tem incidido alguma da inovação gráfica mais recente. Porém, é necessário ter algum conhecimento estatístico para compreender muitos desses gráficos, o que os torna menos acessíveis à generalidade das pessoas.

Modelos univariados: Optou-se por abordar aqui apenas o histograma, o diagrama caule-e-folhas e a caixa-de-bigodes por serem os métodos de análise exploratória univariada mais frequentemente usados na representação da informação estatística. Alguns são apropriados para dados discretos, outros para dados contínuos, uns para conjuntos mais pequenos outros para maiores. Nestes formatos é possível realizar comparações, detetar quebras e valores extremos ou avaliar qual o tipo de distribuição.

Modelos bivariados: Há diversos formatos de representação bivariada. Em particular, os diagramas de dispersão são usados para mostrar uma associação entre duas variáveis quantitativas. A informação consiste num conjunto de pares de coordenadas (x,y) em que cada par é representado por um símbolo, normalmente um ponto no sistema de coordenadas, sendo através da forma da nuvem de pontos que se visualiza a existência ou inexistência de relação entre as variáveis. Este diagrama permite, mais do que comparar as variáveis, avaliar o tipo de relação que existe entre elas.

Representação multivariada: Alguns modelos gráficos contêm mais do que uma variável. Nos gráficos de dispersão e nas caixas de bigodes podem ser representadas outras variáveis (qualitativas), sendo possível através delas, explorar a subdivisão das variáveis em categorias.

grafico_dispersao_q

Anúncios