Comunicação gráfica

Comunicar estatísticas através de imagens não é tão fácil como pode parecer. Como em qualquer outra forma de comunicação, a interligação entre o emissor, a mensagem e o recetor deve ser límpida e com o mínimo de ruído. Neste caso o ruído visual pode afastar o leitor ou impedir que a mensagem seja bem entendida.

Dado que a interpretação da imagem depende do sistema visual, importa conhecer como se comportam os movimentos oculares e a perceção. Só assim é possível saber qual o percurso feito pelos olhos e o que é entendido pelo nosso cérebro.

Escolher a forma gráfica adequada ao tipo de dados a representar, é parte da mensagem. Em complemento surgem os símbolos visuais e as respetivas características (tamanho, cor, forma, orientação, etc.) aplicados às três implantações gráficas que compõem a imagem: o ponto, a linha e a área.

Porém, a utilização destes símbolos obriga ao conhecimento de alguns princípios de desenho gráfico:

  • legibilidade;
  • contraste visual;
  • hierarquia ou ordem visual;
  • organização figura-fundo;
  • equilíbrio visual, entre outros

No caso específico dos gráficos estatísticos, a boa ou má aplicação destes princípios pode ser avaliada  recorrendo a medidas de eficácia gráfica como sejam:

  • Distorção gráfica;
  • Peso visual;
  • Densidade gráfica;
  • Decoração gráfica;
  • Princípios de integridade gráfica.

paragrafo_blank

Anúncios