Gráficos Circulares

O que são? Os gráficos circulares exibem partes do todo como se fatias de uma tarte ou de um queijo se tratassem; a isso se deve a denominação inglesa ‘pie chart’. O primeiro gráfico circular foi criado por William Playfair há pouco mais de 200 anos (1801). São utilizados para representar variáveis qualitativas subdivididas em categorias.

Como se constroem? Cada variável é representada num círculo, correspondendo a cada categoria um ângulo, de modo a que no seu conjunto perfaçam 360 graus. Geralmente, as fatias são designadas por setores e os ângulos que as representam são por vezes associados aos que são produzidos pelos ponteiros de um relógio, razão pela qual se sugere que a primeira fatia tenha início ao meio dia.

Com mais inconvenientes do que vantagens? Estes gráficos são amplamente usados e reconhecidos pela maioria das pessoas. São interessantes quando representam poucas categorias ou uma delas domina o total e indicados para pessoas com baixa literacia gráfica e pouco habituada a ler gráficos estatísticos. Porém a informação que transmitem é reduzida e pouco precisa. Comparar gráficos circulares entre si é visualmente complicado e provoca inúmeros erros de análise. Ordenar as fatias da mais pequena à maior nem sempre é evidente e associar uma fatia a um valor exato é quase impossível. Para este efeito existem outros formatos que são mais adequados, como os gráficos de barras.

grafico_circular_q

A table is nearly always better than a dumb pie chart” Edward Tufte

paragrafo_blank

Anúncios